Marque já a sua consulta (21) 3268-3492 (21) 99056-8583 Marque sua consulta

Risco de trombose na quarentena


Trombose
Longos períodos de inatividade, comuns durante o isolamento social, podem causar a condição
Recentemente, a cantora Anitta foi surpreendida por um diagnóstico de trombose na perna direita e anunciou, em suas redes sociais, que precisou ser internada para dar início a tratamento. Para tranquilizar os fãs, a artista revelou que o problema estava em fase inicial e que não havia surgido pelo uso de pílulas anticoncepcionais, um dos fatores de risco mais popularmente conhecidos. Por isso, é preciso entender melhor a condição e quais cenários favorecem seu aparecimento.

O que é?

Segundo a dra. Nívea Lins Czernocha, angiologista e cirurgiã vascular da Medcenter, a trombose é uma condição que se caracteriza pela formação de um trombo – coágulo, parcial ou total – nos vasos sanguíneos que dificulta a passagem do sangue e pode causar, dessa forma, sintomas como dor, vermelhidão e inchaço. Pode ser classificada de duas formas:
  • Trombose venosa profunda - quando acomete uma veia profunda;
  • Trombose arterial - quando o coágulo é formado em uma artéria; esse tipo está associado a risco de saúde, como AVC e infarto, e tem origem diferente da trombose venosa.

Por que acontece?

Trata-se de um problema multifatorial, embora algumas causas sejam mais comuns, dentre as quais:
  • Lesão em vasos sanguíneos causada por traumas físicos ou cirurgias, por exemplo;
  • Hipercoagulabilidade, ou seja, o processo de coagulação maior do que o comum, que pode ocorrer por vários fatores, como trombofilias hereditárias, obesidade, tabagismo, gravidez, reumatismo e até mesmo o uso de substâncias como pílulas anticoncepcionais, que desequilibram os níveis hormonais;
  • Estase, caracterizada pela estagnação do fluxo do sangue, que pode ocorrer em razão de longos períodos em repouso e imobilizações ortopédicas.

Como a quarentena pode influenciar?

“Durante o isolamento social, a estase se destacou como causa de trombose, pois muitas pessoas permaneceram muito tempo inativas. Por isso, é preciso se atentar para os riscos e sair da inércia ao longo do dia”, explica a médica. Outro fator importante é o fato de a própria infecção por SARS-CoV-2 ocasionar um estado de hipercoagulabilidade no paciente.

Como fazer o diagnóstico correto?

O mais importante num caso suspeito de trombose é procurar a avaliação de um médico e até de um especialista (cirurgião vascular ou angiologista) e buscar um serviço que realize o exame de ecocolordoppler venoso ou arterial dos membros inferiores para confirmar a suspeita da doença e iniciar o tratamento adequado o mais rápido possível, com o intuito de prevenir as formas graves da doença, como a embolia pulmonar, que pode ser fatal. A Medcenter conta com uma equipe de especialistas e oferece o exame de ecocolordoppler com hora marcada e atendimento individualizado.

Como tratar?

O principal objetivo do tratamento contra a trombose é evitar que o coágulo chegue ao pulmão, causando o que conhecemos como embolia pulmonar. Dessa forma, podem ser administrados medicamentos anticoagulantes. A duração da terapêutica varia de acordo com cada caso. Na embolia pulmonar, por exemplo, substâncias conhecidas como trombolíticas e até cirurgia são medidas que podem ser necessárias.